segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sementes e Estacas

Já passaram 5 anos desde que a minha mulher me ofereceu um "bonsai" ligustrum pelo dia dos namorados. Desde então muita coisa aconteceu na minha vida. Juntei-me ao Clube Bonsai do Algarve, do qual faço parte desde a sua formação. Comprei uma casa com um terraço, o que me permitiu ter mais algumas plantas, embora já me comece a faltar o espaço (a área útil está quase ocupada). Iniciei em 2009 um curso de Bonsai no Jardim Bonsai de Tavira, com o Rui Ferreira, e no qual já estou inscrito pelo 3º ano consecutivo.

Mas uma das situações que mais marcou a mudança foi o nascimento do meu filho em Abril de 2009 (fez 2 anos no sábado). Muito do tempo disponível que tinha para "outras actividades" desapareceu, e deixei de andar sempre em cima dos bonsai, não conseguindo grandes espaços para estar constantemente a intervir como o fazia anteriormente. Mas isso ajudou-me a ganhar paciência e a deixar de ter aquele nervo que faz uma pessoa andar sempre a mexer em alguma coisa, mesmo quando o melhor é estar quieto. Ajudou-me principalmente a parar e a planear a longo prazo as intervenções e a pensar, não faz mal, se não dá agora faz-se depois porque a árvore até agradece que a deixemos em paz de vez em quando.

Esta perspectiva de maior longo prazo e a vivência do nascimento e crescimento de um ser vivo fez-me experimentar mais os projectos de semente e estaca desde o final do ano passado. Tenho também tido oportunidade de ler, pesquisar e aprender algumas coisas que me lançaram neste caminho de longo prazo, mesmo sabendo que muitos destes projectos poderão não dar em nada e alguns terão de ser melhor desenvolvidos pelos meus filhos ou netos! ;)

Assim, fiz algumas sementeiras (pinus thumbergi, de pinus sylvestris e de pseudocydonia sinensis) e saquei algumas estacas (acer tridente e zelkova serrata). E agora é um espectáculo ver os projectos a acordar e a resultar. A sementeira de sylvestris está a rebentar agora, as estacas de tridente já estão ao sol com folhagem por todo o lado e as de zelkova estão a inchar os brotos neste momento.

Apenas a sementeira de pinus thumbergi não correu muito bem, apenas me nasceu um, mas penso que isso deveu-se ao facto de não ter feito estratificação, tendo apenas colocado as sementes no Outono, pensando que o processo de vivência das mudanças de estação seria suficiente.

Já quanto às sementes de pseudocydonia, já passou o período de estratificação e estão agora na terra para germinar.

Tenho aproveitado para experimentar novas coisas com este material mais jovem, por exemplo, no caso das estacas, experimentei um novo substrato composto por perlite e vermiculite 50-50. Também tenho usado esta mistura nas sementeiras depois de ter visto referenciado num tópico do bonsaisur. Vou também tentar aplicar uma técnica com os rebentos de pinheiro que tenho visto por aí, mas isso logo faço a reportagem quando for a altura.

A minha ideia geral é criar diversos tipos de projectos, desde mame a shohin e mesmo alguns um pouco maiores (porque não?) a partir deste material, mas também experimentar coisas novas ao nível do cultivo que seria mais difícil fazer com material mais desenvolvido. Vamos ver como isto vai correr.

2 comentários:

Rui Marques disse...

Olá Nuno,
Estou a pensar fazer umas estacas de ulmeiro, estacas essas já duras. Qual é a melhor altura de o fazer? Tenho lido que a melhor altura será no Inverno, logo após de perderem as folhas, será mesmo Asssim? como deverei proceder?

Abraço
Rui Marques

Nuno Encarnação disse...

Viva Rui,

As estacas de ulmeiro enraizam bem em qualquer altura. Eu tinha duas estacas que retirei em Junho de 2007 e ambas pegaram e ambas já estavam lenhificadas, embora não tivessem grande calibre.
Não tive grandes cuidados no sentido em que ficaram em água para aí uns 3 dias com pó de enraizamento e depois foram para a terra e estiveram à sombra até aparecerem as primeiras folhas.

Normalmente, a teoria diz que ao nível das estacas, pode-se fazer com ramos verdes, não lenhificadas, na primavera, entre Março e Abril, com ramos semi-lenhificados, entre finais de Maio e Junho, e estacas lenhificadas (de 2 ou mais anos) em Outubro. Refere-se igualmente que no caso de plantas caducas, que estas pegam melhor depois de perderem as folhas, no período de Inverno, mas a mim parece-me melhor retirar as estacas em Janeiro para não ficar demasiado tempo na terra e correr depois o risco de secar sem lançar raízes.

Espero ter ajudado.

Um abraço,
Nuno